09 novembro 2009

A vida como ela é: a roupa errada no trabalho

Há tempos atrás, eu trabalhei num lugar onde a maioria da mulherada era uma coisa meio hippie.
Maquiagem era coisa de capitalista; se vestir legal (ou pelo menos estar bonitinha) era coisa de pequeno burguês.

Era desse jeito que a fauna ouvinte de Maria Bethânia e Chico César pensava.

No começo, me sentindo meio fora de lugar e não querendo distoar do grupo, eu ia sem make e jeans e camiseta. Só o cabelo estava sempre beirando o impecável.
Depois, já instalada, comecei a voltar a ser quem eu sou: batom, rimelzinho, blush e matificante.

Das meninas que eram mais chegadas, tinha a Lucinéia, uma típica representante da tribo socialista dali: Cabelo orgulhosamente armado em forma de pirâmide, óculos de grau de armação vermelha, sandália rasteira da praça da república (daquelas de couro crú), brinco de casca de côco e zero de make.
A roupa: calça estilo pijama de cor lavada, e regata curta de malha canelada.
A Lucinéia não tinha um corpo legal, a estrutura já não ajudava, tinha as costas largas, o quadril estreito e uma barriga.
Assim, a regata deixava as costas ainda maiores, e a calça pijama descia e a barriga pulava pra fora.
Depois de um tempo, ela me disse que gostaria de se arrumar melhor, mas que não tinha paciência pra ficar andando em loja pra comprar roupa, e que não gostava de maquiagem.
Eu disse, que se ela queria ficar mais bonita, ia ter que arranjar tempo e paciência, mas que valeria a pena. Mas ela acabava sempre adiando, sempre deixando pra lá.

Um dia, o banheiro feminino do lugar ficou com algum problema, e precisaram interditar.
Então deram um jeito:
As meninas iriam usar temporariamente o banheiro dos meninos, e os meninos por sua vez, iriam usar o banheiro masculino do andar de cima.
Foi numa sexta feira, a Lucinéia estava num projeto comigo, estavamos na mesma mesa, e ela se levantou e foi ao banheiro. Quando voltou estava pálida e com cara de choro.
Perguntei: Nossa, o que foi?
e ela:
_Você não sabe o que eu ví escrito no banheiro dos homens.
_o quê??
Depois de parar de apertar a testa e controlar o choro, ela disse:
_Está escrito: "Tristeza mesmo é acordar de manhã, chegar pra trabalhar e ver a Lucinéia de mini blusa com a barriga de fora."

O que falar nessa hora? O pior é que era verdade, aquela barriga de fora era dureza.
Depois dessa, a Lucinéia arranjou tempo, saco e grana e foi ao shopping, e começou à se arrumar melhor.
Eu dei uns toques, ela cortou aquela juba, passou à usar lentes de contato ao invés do óculos vermelho e melhorou.
Mas precisou um banheiro masculino pra ela acordar.
Bendito banheiro!

8 comentários:

  1. Hahahahahahahahahah!!!! ótimaaaaa!!!
    Conheço tantas Lucinéias! dá uma agoniaaa...

    ResponderExcluir
  2. hahahahahaahaa ótimaaaa!! Conheço várias Lucinéias! Dá uma agoniaaa...

    ResponderExcluir
  3. Carol, realmente, dá uma agonia, uma vontade de amarrar a menina numa cadeira e fazer uma make na marra.
    quaaaaaaaaaaa!

    bj

    ResponderExcluir
  4. Bendito banheiro mesmo! Queria saber como fazer pra ajudar outras Lucinéias. Alguém tem dicas?

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkkkkk Coitada, que trauma!!!!

    ResponderExcluir
  6. humm... acho que no serviço e no dia a dia em geral acabo sendo meio Lucinéia... dou uma prendidinha básica no cabelo, protetor, zero make, roupa básiconona... mas barriga de fora não... hehehe... Não sei pq não consigo me arrumar, tenho vergonha do que possam pensar... sei que eh uma timidez idiota mas jah vem de tanto tempo q eu nem sei mais como mudar... heheh Não que falte vontade, falta eh coragem mesmo... quando saio á noite me arrumo, make e coisas assim... mas no dia a dia, nem eu me interessaria por mim!

    ResponderExcluir
  7. Anonima, é o seguinte: se voce faz parte do time das solteiras que querem arranjar um namorado, alguem legal pra viver a vida, se arrumar melhor é pra ontem.

    Se voce já tem alguem, se arrumar melhor é qustão de respeito ao outro, respeito ao que ele significa pra voce, como quando a gente é convidada pra um jantar na casa de alguem importante e nos arrumamos em respeito ao anfitrião.

    Se voce nao tem ninguem e nao quer ter, faça somente por voce, pra elevar a auto estima; auto estima elevada atrai boas oportunidades, melhora o desempenho e a credibilidade no trabalho.
    As pessoas gostam do que é belo, ninguem quer o feio, o básico.
    Se voce for comprar uma casa, entre a basica ou feia e a linda, vai escolher a linda né?


    Por ultimo, se voce nao tivesse vergonha de se arrumar melhor mas fosse uma escolha sua de não se arrumar, ate ia.
    Mas ter vontade e não ter coragem vem de criação rígida por parte da familia, ou por vergonha de se mostrar mulher, de assumir sua mulher, aquela que esta ai dentro.

    Falta de coragem é triste, a gente acaba deixando de fazer um monte de coisas que queria.

    Se quer ficar mais bonita fique, tome floral de bach, faça terapia, descubra qual a razão do bloqueio, dissolva-o e viva sua vida.

    Quando voce tiver 70 anos vai querer fazer uma make, usar um vestidinho e já não sera tão bonita quanto agora. Agora é a hora.
    A vida é agora, como diz aquele cartão.

    Vá e seja voce, aquela que voce já é e que não deixa ninguem saber.

    sorte!

    ResponderExcluir
  8. Posso imaginar que os caras do lugar sejam estilo Brad Pitts ou algo até próximo, pois para se acharem no direito de criticar tão duramente alguém apenas por sua aparência tem que, minimamente, atender requisitos mínimos de beleza em exemplares masculinos: músculos definidos, bunda pronunciada, pele e cabelos impecáveis e mais: cheirosos! hahahahahaa (bicho grilo não gosta nem de perfume!) Bjs, gostei do texto! Parabolika

    ResponderExcluir

As opiniões expressas pelos leitores são de sua inteira responsabilidade e não refletem necessariamente, a opinião do Blog Arrase e Case. Mensagens ofensivas não serão publicadas.