.

.

03 janeiro 2012

Reposição hormonal errada causa cancer Entrevista com Dr. Lair Ribeiro

Reposição hormonal com urina de égua? Nao caia nessa.

Quando uma mulher entra na menopausa, a primeira coisa que seu médico diz é que ela deve fazer TRP, ou seja, terapia de reposição hormonal.
Há décadas as mulheres se submetem á reposição hormonal feita com hormônios sintéticos acreditando nos médicos e nas propagandas, mas essa reposição é o pior caminho.

Em entrevista feita pelo blog Arrase e Case!, o aclamado médico Dr. Lair Ribeiro - que ao longo dos anos se tornou uma referência no assunto - esclarece como fazer reposição hormonal sem riscos à saúde com uma classe limpa de hormônios: os Hormônios Bioidênticos.


Arrase: A TRH (terapia de reposição hormonal) está ultrapassada?
Dr. Lair Ribeiro: A TRH é uma terapia completamente ultrapassada. Hoje o correto é não simplesmente ‘repor’ hormônios e sim, ‘modular’ os hormônios como um todo no organismo de forma natural e combinada. Conseguimos isso através da MHB - Modulação Hormonal Bioidêntica.
A mulher têm estrogênios, progesterona e testosterona.
Quando ela entra na menopausa a quantidade desses hormônios cai e aparecem problemas como perda da elasticidade da pele, musculatura fraca, afinamento dos ossos, fadiga, ondas de calor, infecções urinárias recorrentes (uretrite/cistite), vagina seca, falta de libido, etc.

Arrase: A TRH feita hoje tal como se vê nos consultórios faz mal?
Dr. Lair Ribeiro: A reposição hormonal feita com hormônios não bioidênticos comprados em farmácias (muitas vezes sem receita médica) causa câncer de mama, câncer de útero, infarto, derrame, embolias entre outros graves problemas.
É o tipo de reposição que gera muito mais problemas do que soluções. O pouco que ele ajuda não compensa o enorme risco que ele significa.

Arrase: Por que esses hormônios causam problemas?
Dr. Lair Ribeiro: Há muitos anos os médicos receitam hormônios não bioidênticos para que a mulher se livre dos sintomas e efeitos da menopausa.
Mas de onde vem o estrogênio não bioidêntico, por exemplo? O estrogênio não bioidêntico vem da urina de éguas prenhes. Dão diuréticos para que as éguas urinem muito mais, pegam essa urina, evaporam e com o resíduo obtido fabrica-se o mais popular hormônio do mercado: o Premarin cujo nome significa urina de égua prenhe: Pre (de pregnant que é grávida em inglês), Mar (de mare que é égua em inglês), In (de urine que é urina em inglês) ou seja: urina de égua prenhe.
O problema é que a égua prenhe tem 80%de estrona enquanto a mulher tem 80% de estriol. Essa diferença, mais os outros 11 metabólitos hormonais não existentes no corpo da mulher adultera o organismo causando todo o tipo de problema. Desequilibra tudo.
Um exemplo simples é que o estrogênio endógeno protege a mulher do infarto, já o estrogênio da égua aumenta o risco de infarto nessa mulher.

Arrase: Mas se é tão ruim, porque as indústrias farmacêuticas fabricam e porque os médicos receitam?
Dr. Lair Ribeiro: A indústria vende pelo motivo comercial. A Indústria Farmacêutica para sobreviver e competir com a concorrência tem que buscar produtos patenteados. Não se pode patentear nada que a natureza produza. Portanto, os hormônios existentes no organismo não podem ser patenteados. No processo de gerar moléculas novas, criam-se produtos que podem gerar efeitos colaterais. Esses efeitos colaterais podem levar anos para se manifestarem. Enquanto isso, nós médicos estamos receitando e só depois ficamos sabendo que não deveríamos estar fazendo isso.
Até 2011 o Premarin (hormônios conjugados eqüinos) era o medicamento mais vendido no mundo. Em 2002 veio à público uma pesquisa revelando que esses hormônios eram uma das principais causas de câncer de útero e de mama nas mulheres. Depois disso alguns médicos pararam de receitar esses hormônios, outros continuaram e um terceiro grupo passou a receitar os Hormônios Bioidênticos, que são a melhor opção para uma reposição hormonal segura. Alguns colegas menos atualizados chegam a dizer que não existe o que se chama hormônios bioidênticos. Na internet você tem o Google e o Google Acadêmico (http://www.scholar.google.com/).
É só entrar e digitar Bioidentical Hormones que o resultado será 1720 citações científicas sobre hormônios bioidênticos.

Arrase: O que são Hormônios Bioidênticos?
Dr. Lair Ribeiro: São hormônios exatamente iguais aos hormônios que temos no corpo. Esses hormônios são produzidos a partir de elementos naturais como o cará-selvagem e a soja.
Os hormônios Bioidênticos são conhecidos desde 1940, mas por interesses comerciais não foram usados como o melhor método de modulação hormonal.
Em 2004 escrevi um livro sobre esse mesmo assunto: A Verdade Sobre Reposição Hormonal onde apresento os hormônios Bioidênticos como alternativa sadia à reposição não bioidêntica.
Hoje, após tantos desastres na utilização dos hormônios não bioidênticos, felizmente os hormônios Bioidênticos estão tomando seu lugar, mas ainda há médicos que receitam os não bioidênticos, enquanto outros preferem não acreditar no conceito de Modulação Hormonal.

Arrase! - Como é feita a administração dos hormônios Bioidênticos? Eles são mais caros?
Dr. Lair Ribeiro: São mais baratos e não se compra prontos em farmácia, aí você entende o porquê de as indústrias farmacêuticas desestimularem tanto seu uso.
O médico, através de um exame de saliva e/ou sangue analisa a quantidade de hormônios de que a pessoa necessita. Diante do resultado, um medicamento sob medida é feito em farmácia de manipulação com a quantidade e variedade exata de hormônios que a pessoa precisa.
Nos hormônios não bioidênticos, comprados já prontos em farmácia não tem como personalizar a terapia, é a mesma coisa para todas as pessoas, quer elas precisem de mais ou de menos hormônio. É uma fórmula só seja qual for o caso.
A melhor via de administração dos Hormônios Bioidênticos é com o uso de gel ou creme transdérmico. Isso faz toda a diferença em como os hormônios chegam até seus receptores para produzirem os resultados desejáveis.

Entrevista realizada por mim, Adriana, para a edição impressa do jornal Alpha Cidade em dezembro de 2011.

4 comentários:

  1. É uma excelente reportagem!!!! Muito simples e direta ao assunto!!!! Amei!!!!

    ResponderExcluir
  2. Dávila,

    grata pelo elogio, fico feliz e o entrevistado fica honrado.
    Abçs!!!

    ResponderExcluir

As opiniões expressas pelos leitores são de sua inteira responsabilidade e não refletem necessariamente, a opinião do Blog Arrase e Case. Mensagens ofensivas não serão publicadas.