02 junho 2009

A vida como ela e: Quando acaba a energia eletrica

Eu trabalhava no centro de sp, morava em santo andré, pegava trem para chegar ao trabalho.
Era um sabadao, e nem pude dar uma saidinha na night, teria que estar no trampo as 8 no domingo (ahhhh!)

Nessa falta de tempo, fiz o que nunca fazia: lavei os cabelos a noite e com preguiça, deixei para fazer escova no dia seguinte.
Ou seja, fui dormir com os cabelos molhados.

Sabe o que isso significa né? o cabelo acordou revoltado, totalmente tosco.
Mas ok, corri para o espelho, liguei o secador e...cadê??
Não tinha energia eletrica.
So-co-rro!

Como eu ia sair na rua com aquela juba? Começou a me dar uma desespero, um aperto no peito, não sabia o que fazer, não dava pra encarar nem o trenzão com aquele cabelo.
Arrasada, peguei o secador, coloquei na bolsa e pensei que assim que chegasse no trabalho, tentaria ir para algum andar que não tivesse ninguem trabalhando e daria um jeito na coisa.
E fui para a estação, mas minha amiga, a coisa estava tão feia que não tinha coragem de olhar nem pro cara que vende os bilhetes lá na catraca.

E me sentei lá na plataforma, e minha cabeça não parava de tentar arranjar um milagre.
E o milagre veio.
Vi uma tia varrendo a plataforma, corri pra ela com cara de desespero e perguntei baixinho:
_Tia, onde tem uma tomada?
_Tomada?
_É tia, tomada.
_Tem lá no refeitório. Serve?
_Serve tia, qualquer tomada.
Então ela me levou ao tal refeitório. Era um lugarzinho de trabalhadores, uma mesa comprida com toalha de plástico, bancos, uma pia, e um grupinho dos faxineiros tomando café com leite da garrafa térmica.
_Mas tia, cadê a tomada?
_Só tem a da geladeira. E me apontou a tomada onde a geladeira estava ligada.
Não pensei duas vezes: arraquei o fio da geladeira, saquei meu secadorzão Tany da bolsa, a escova gigante e comecei a meter bronca na franja sem espelho nem nada. Zuuuuuuuuummmm Zummmmmmm. Pelo menos a franja ia sair de lá decente;
Enquanto isso, o grupinho do café estava em silêncio, sabe aquele silêncio paralisado?
O que era aquilo as 7 da manhã de um domingo no refeitório de frente para uma geladeira alisando a franja?
O silêncio foi quebrado por alguém que disse lá no fundo:
_Gente, muita calma nessa hora.
hahaha! pensando hoje foi muito engraçado, mas no dia eu nem ri, estava tão compenetrada que só queria acabar com aquilo o mais rápido possível.
Quando acabei, liguei a geladeira deles, dei uma agradecida (eles estavam meio petrificados) e área.
Fiz a franja e já me sentia outra pessoa.
Pelo menos pude pegar o trem sem me sentir a coitada.
No trabalho, achei um banheiro num andar vazio e acabei o serviço.
Fui salva pela tomada do refeitório dos faxineiros do trem.
Depois disso, nunca mais dormi com o cabelon molhado se tivesse que sair no outro dia cedo.
Toma!

4 comentários:

  1. Muito hilário, rendeu boas risadas!!!

    ResponderExcluir
  2. Juliana Ferri04 junho, 2009

    Não acredito que tenha feito isso!
    Muito engraçado... Sou meio como você para cabelo. Não saio de casa sem escova e posso imaginar o desespero da pessoa! Boas risadas!
    Um beijo!!

    ResponderExcluir
  3. quaaaaaaa! foi fods. depois disso comecei a pensar em coisas mirabolantes, como comprar uma bateria de carro e fazer alguma gambiarra para ligar secado quando acabasse a energia. fiquei traumatizada.
    ate hoje, se tiver uma festa pra ir e acabar a energia, nao vou.
    nem a pau! posso ate me sentir mal com a roupa, o sapato, mas com o cabelo nao da.
    haaaaaaaaaaaa!
    bjs ju e drica.

    ResponderExcluir
  4. Muito engraçado! Não durmo de cabelo molhado de jeito nenhum!

    ResponderExcluir

As opiniões expressas pelos leitores são de sua inteira responsabilidade e não refletem necessariamente, a opinião do Blog Arrase e Case. Mensagens ofensivas não serão publicadas.